Notícias

Fundos para a Internacionalização
07 Maio 2020
Fundo de 100 milhões para ajudar a fusão de empresas avança sem privados
ECO Economia Online


O fundo de 100 milhões de euros alimentado pelo FEI e pelo Fundo de Fundos para a Internacionalização pretende mobilizar 300 milhões de euros (e já não 500) para financiar PME portuguesas.

 

O fundo para estimular o crescimento de empresas mais maduras e promover fusões e internacionalização vai avançar sem privados. O Portugal Growth Capital Initiative, um fundo de fundos, vai arrancar com 100 milhões de euros e pretende mobilizar cerca de 300 milhões para financiar PME portuguesas. Esta é uma ambição revista em baixa tendo em conta os efeitos da pandemia na economia.

 

Este fundo de fundos vai investir em PME e midcaps, ou seja, empresas que têm até três mil trabalhadores. E esta é a grande diferença face ao Portugal Tech, o programa de investimento de 100 milhões de euros que investe em startups na área da tecnologia.

 

Tal como o Portugal Tech não faz chegar apoios diretamente às empresas portuguesas, o Portugal Growth Capital Initiative também vai escolher capitais de risco que tenham mais know-how nas diferentes áreas e acesso a capital privado. A escolha das capitais de risco deverá caber ao FEI, do conjunto de equipas privadas que se acreditam junto do fundo para receber financiamento. Bastará escolher os fundos nacionais. No caso do Portugal Tech as capitais de risco especializadas escolhidas foram a Indico Capital Partners, Armilar Venture Partners e Vallis Capital Partners.

 

Já o Portugal Venture Capital Initiative (PVCi), o primeiro fundo de fundos português, com 111 milhões de euros, investiu em sete fundos que, por sua vez, investiram em 50 empresas. Por ano, são feitos cerca de 20 investimentos de private equity no país.

Copyright ©2020 Porto. Câmara Municipal