Notícias

Attractiveness Survey
18 Junho 2021
Portugal entra no top 10 dos mais atrativos para o investimento estrangeiro
ECO Economia Online

O ano foi de pandemia, mas Portugal conseguiu entrar no Top 10 das economias europeias mais atrativas para o investimento estrangeiro. Esta é uma das conclusões do EY Attractiveness Survey Portugal 2021 que avalia todos os anos a perceção dos investidores estrangeiros sobre o quão atrativo o país a este nível. A Covid-19 traduziu-se numa quebra no número de investimentos angariados (menos quatro do que no ano anterior), mas as perspetivas futuras são positivas já que 37% dos inquiridos planeia criar ou expandir as suas operações em Portugal.

França continua a ser a economia europeia mais atrativa para o investimento estrangeiro, seguida do Reino Unido, Alemanha e Espanha que se mantiveram nas mesmas posições face a 2019, mas todos com uma quebra no número de novos projetos. A pandemia traduziu numa quebra de 13% nos projetos de IDE na Europa – Espanha foi a mais afetada (-27%), mas em Portugal a quebra foi de 3%.

Dos 154 projetos de IDE que Portugal atraiu em 2020, 113 foram novos e os restantes 41 (27%) representam uma expansão dos projetos já existentes. Estes investimentos traduziram-se na criação de mais de 8.900 postos de trabalho, sendo 57% associados aos novos projetos. A região Norte obteve cerca de 55 projetos em 2020.

A investigação e desenvolvimento (I&D), sobretudo relacionados com investimentos em serviços de IT e digitais, é "a” atividade crescente, diz o relatório. O aumento dos investimentos em I&D é uma tendência que se tem vindo a acentuar desde 2018 — 12% em 2018, 17% em 2019 e 21% em 2020.

A indústria transformadora, a I&D e os centros de serviços partilhados (área que captou 33 projetos de IDE) são "os motores do futuro”, diz o estudo, já que mais de metade (62%) dos inquiridos que planeia investir em Portugal, ou expandir a atividade que já tem no país, o pretendem fazer nestas áreas.

O estudo revela ainda que 70% dos investidores foram europeus e 30% do resto do mundo, uma tendência que está alinhada com os últimos anos. Mas, os Estados Unidos foram o país responsável pelo maior número de projetos (25), seguidos de Espanha com 23 e França com 22. Alemanha e Reino Unido responderam por 16 e 13 investimentos, respetivamente, mas a Bélgica com quatro projetos duplicou o desempenho de 2019.

A atratividade de Portugal continua a residir em fatores como a qualidade de vida; clima de estabilidade social; fiabilidade e cobertura das infraestruturas de transportes, telecomunicações, energia; mas também na disponibilidade e qualificações da mão de obras. Mas os autores do estudo alertam que o país não pode continuar a confiar apenas nestes ativos mais tradicionais. "Inovação, transparência e qualificações devem ser os motores de uma estratégia de longo prazo”, alertam os autores do estudo.

O estudo revela que existem razões para otimismo porque 37% dos inquiridos planeia investir em Portugal ou expandir a atividade que já tem no país e metade considera que a atratividade do país vai aumentar.

Porto. Câmara Municipal
Copyright ©2021 Porto. Câmara Municipal
InvestPorto