Notícias

Farfetch
28 Outubro 2020
Farfetch já contratou 400 em Portugal em 2020. Trabalho remoto inclui app de saúde mental e consultas online
Dinheiro Vivo

Empresa de José Neves líder nas vendas online de marcas de luxo continuou a contratar em Portugal durante a pandemia, já tem mais de dois mil colaboradores no país. Farfetch tem ainda lista de regalias e benefícios a pensar no trabalho remoto, que veio para ficar pelo menos de forma híbrida, diz-nos a vice-presidente de recursos humanos Ana Sousa.

Como tecnológica em franca expansão que é, a Farfetch, empresa luso-britânica fundada e liderada José Neves e que é uma espécie de Amazon da moda de luxo, há muito que inclui um pacote de regalias para os seus funcionários, ou não fosse a atração de talento uma das prioridades de qualquer empresa que se distingue pela inovação. Com a pandemia e a necessidade de ter mais pessoas em trabalho remoto, a empresa criou mecanismos para dar apoio extra, incluindo o acesso global a uma app de serviços pagos de bem-estar e saúde mental, Unmind.

"Criámos diversas iniciativas de bem-estar, que vão desde aulas remotas a consultas médicas online", diz-nos Ana Sousa, vice-presidente de People Strategy da Farfetch, o primeiro "unicórnio" português (empresa com valor de mercado acima dos mil milhões de dólares). A empresa tem já mais de 4500 colaboradores em várias áreas do mundo, mais de dois mil estão em Portugal - a maioria nos escritórios de Leça do Balio.

Apesar do período de disrupção criado pela pandemia, a empresa que completou este mês 12 anos, continuou a contratar e, só em Portugal, 2020 trouxe 400 novas contratações desde o início do ano até ao final de setembro. 70% dessas contratações foram já durante e após o confinamento - entre março e setembro. Não houve alterações em termos de estratégia de contratações, mas o clima de incerteza "leva a uma adaptação constante".

As áreas com mais contratações foram as de Operações e Tecnologia, embora tenham continuado a contratar em todas as áreas. "Estas contratações resultam de uma necessidade do negócio e não foram uma consequência da pandemia. Estes novos colaboradores fizeram a sua integração remotamente e essa foi uma das adaptações rápidas que fizemos", explica a responsável.

A Farfetch já tinha várias dimensões do bem-estar dos colaboradores asseguradas, "mas a pandemia veio ajudar a acelerar alguns processos e ideias". "Aquilo de que estamos certos é que a flexibilidade no trabalho ajuda as nossas pessoas a promover um maior equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal”.

Porto. Câmara Municipal
Copyright ©2020 Porto. Câmara Municipal
InvestPorto