Notícias

DefinedCrowd
26 Maio 2020
DefinedCrowd recebe investimento de 50,5 milhões de dólares
Dinheiro Vivo

Fornecer dados de alta qualidade para dispositivos de reconhecimento por voz rendeu um investimento de 50,5 milhões de dólares na DefinedCrowd. Na série B de financiamento, a startup portuguesa de inteligência artificial conquistou novos investidores e estabeleceu recordes. Esta injeção de capital vai ser utilizada no desenvolvimento de novos produtos no mercado internacional e ainda ajudar a duplicar a equipa para 500 pessoas até ao final deste ano.

Esta operação contou com vários tipos de investidores de capital de risco: os portugueses da Semana Next e os ingleses da Hermes GPE investiram pela primeira vez na DefinedCrowd; houve também espaço para vários repetentes como as lusitanas Portugal Ventures, Bynd Venture Capital e EDP Ventures e as internacionais Evolution Equity Partners, Kibo Ventures e IronFire Ventures. Antes disso, já havia investidores como Amazon Alexa Fund, Sony Innovation Fund e Mastercard.

Daniela Braga destaca que a DefinedCrowd tem conseguido aumentar as receitas e a rentabilidade. "Fechar a série B de investimento é uma validação incrível para tudo aquilo que alcançámos nos últimos quatro anos e meio. Além de termos aumentado significativamente a nossa base de clientes entre as 500 maiores empresas do mundo [ranking Fortune 500], também aumentámos as nossas receitas com os atuais clientes, o que prova a nossa proposta de valor”.

A especialista em inteligência artificial nota ainda que a procura por esta tecnologia "está a crescer exponencialmente em quase todas as indústrias e geografias. Com o nosso talento, recursos, clientes e investidores internacionais valiosos estamos no caminho certo para sermos a melhor empresa de dados para inteligência artificial”. 

Além do desenvolvimento de novos produtos, a ronda de investimento anunciada esta terça-feira também vai fortalecer a ambição da DefinedCrowd em contratar 250 pessoas até ao final deste ano. Nesse momento, foi anunciado o aumento das receitas desta startup em 656%, embora não tenha sido revelado o montante. A meta dos 500 postos de trabalho já tinha sido estabelecida nas primeiras semanas de 2020 e está no caminho para ser cumprida: Dezenas destas vagas já estão disponíveis para especialistas em design e programação nos quatro escritórios da plataforma portuguesa, em Lisboa, Porto, Seattle e Tóquio (consulte as vagas nesta página).

Esta startup portuguesa desde que foi fundada conseguiu 63,6 milhões de dólares de investimento, com base em dados da plataforma Crunchbase.

Copyright ©2020 Porto. Câmara Municipal